Páginas

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Encontro entre governador e delator precisa ser melhor explicado aos pernambucanos.



A Bancada de Oposição na Assembleia de Pernambuco, diante da confirmação do encontro entre o governador Paulo Câmara, o prefeito Geraldo Júlio, e os executivos Ricardo Saud e Joesley Batista, da JBS,cobra respostas claras e objetivas do governador, do prefeito do Recife e da direção do PSB.

1 - O governador Paulo Câmara, em pronunciamento realizado na última segunda-feira (22), alegou não estar envolvido no Caso JBS, uma vez que nem seu nome, nem o do prefeito Geraldo Júlio, foram citados na denúncia enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fachin. Esquece o governador que o STF não é o foro indicado para julgar governadores de Estado.Lembramos ao governador que é o Superior Tribunal Justiça (STJ) a instância que julga governadores, da mesma formaque cabe aos Tribunais Regionais Federais (TRFs) o julgamento de prefeitos.Portanto, carece de esclarecimento jurídico o pronunciamento do governador.

2 - A confirmação do encontro pelo governador, 72 horas após a cobrança da Oposição, reforça ser inadmissívelque tanto o governador Paulo Câmara como o prefeito do Recife Geraldo Júlio usem a velha estratégia de desqualificara delação feita pelo executivo Ricardo Saud. Na delação, no anexo 36, Saudafirma textualmente que além das contribuições oficiais ao PSB, destinou em espécie, por meio de um emissário, R$ 1 milhão para a campanha de Paulo Câmara ao Governo de Pernambuco.Recursos que não foram registrados na prestação de contas da campanha estadual doPSB. A verdade é que houve o encontro, como agora foi reconhecido, e que houve o pedido de ajuda para a campanha, como também foi confirmado. Portanto, o restante das afirmações feitas pelo delator merece, no mínimo, uma investigação mais aprofundada.

3 - Diante do atual cenário e das denúncias que rondam o Governo do Estado, a Bancada de Oposição vai acompanhar, junto ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Poder Judiciário, as investigações relativas às delações realizadas pelos executivos da Odebrecht e da JBS, assim como os inquéritos sobre a construção da Arena Pernambuco e do Centro de Ressocialização de Itaquintinga.


A Bancada de Oposição tem pautado sua atuação na transparência e responsabilidade, mas não deixará de tomar as medidas cabíveis quando necessário. Diante das gravíssimas acusações levantadas nas delações e nas sete operações da Polícia Federal já realizadasem Pernambuco, a Oposição cobra que o Governo do Estado, a Prefeitura do Recife e os demais agentes do PSB pernambucano possam tratar o assunto mais com a razão e menos com a emoção.

Bancada de Oposição de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário