Páginas

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Resposta: “COLUNA ENSAIO GERAL: BOM CONSELHO A CIDADE DAS MURIÇOCAS”




DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Resposta: “COLUNA ENSAIO GERAL: BOM CONSELHO A CIDADE DAS MURIÇOCAS


Sabendo da sazonalidade natural das infestações por mosquitos dos gêneros “Culex, Aedes, Lutzomyia e Simuliumentre outros comuns a nossa região, o Departamento de Vigilância em Saúde mantém trabalho constante no controle a estas pragas urbanas. A equipe de campo realiza mapeamento das aeras de risco e se utiliza de equipamentos para a dispersão de larvicidas e adulticidas e é composta por 04 (quatro) funcionários que trabalham em dois turnos de segunda a quinta, em duas abordagens diferentes. Em dias de alta umidade do ar e com precipitação de chuvas por contraindicação dos fabricantes os agentes químicos não são aplicados por terem sua eficácia diminuída drasticamente.
Durante o turno da manhã no curso do rio Papacacinha (principal criadouro de muriçocas) e em outros pontos estratégicos, dois funcionários do município fazem a aplicação de larvicidas químicos em águas sujas não indicadas ao consumo animal ou humano, os quais, durante o ciclo anual aplicaram ABATE 500E (TEMEFÓS) da BASF e STARYCIDE SC (Triflumuron) da BAYER.
No turno da tarde utiliza-se o CIPERPRAG® 250 CE da BEQUISA diluído em óleo mineral quando aplicado por FOG – Termonebulização e diluição em água quando dispersado por UBV ou Pulverização. A diferença na abordagem de aplicação difere pelo fato de que, os larvicidas atuam na fase de larva dos mosquitos, inibindo o crescimento, promovendo a morte das larvas e tornando inférteis os mosquitos adultos. Por exemplo, o ABATE 500E tem mantém seu efeito residual por até 15 dias. O combate na fase larval tem eficácia média de 80% a 95%.
 A estratégia de controle por adulticida a base de Cipermetrina em óleo mineral ou por diluição em água nas áreas de plantação de capim e terrenos baldios não tem efeito duradouro, promovendo a morte apenas dos mosquitos alados no momento da aplicação, deste modo não tem efeito residual, sua eficácia média é baixa entre 30% e 35%. Salientamos que as dosagens utilizadas são as mínimas possíveis indicadas pelos fabricantes, com o intuito de redução de impactos ambientais e riscos à saúde.
O Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD) foi implantando no país em 2002 e por meio deste recebemos também o larvicida (PYRIPROXYFEN 0,5%) que é utilizado para uso em água limpa, este é dispensado pelos agentes de endemias que realizam as visitas domiciliares e servem para o controle de infestação do aedes aegypti.  
O controle biológico com o uso dos produtos TEKNAR, VectoBac e BT-HORUS do tipo cristais protéicos produzidos pela bactéria Bacillus thuringiensis, variedade israelensis (BTI) já é conhecido e configura-se como opção ao controle dos mosquitos, no entanto sua eficácia segundo estudos é similar ao correlatos químicos diferenciando-se apenas pelo menor fator residual em água corrente.
O apoio gerencial da secretaria de saúde Sra. Elayne Cristine assim bem como do excelentíssimo prefeito Dannilo Cavalcante na liberação de recursos para a compra de equipamentos, insumos, composição e treinamento da equipe tem sido de grande importância, pois se assim não fosse a situação seria mais complexa, com a boa vontade dos gestores e do esforço da equipe vamos conter essa praga e manter o município fora de situação de risco.
Queremos agradecer a intervenção do nobre escritor Alexandre Tenório e dizer que a critica será levada em consideração com a possível aquisição dos larvicidas biológicos para testes, tendo em vista à necessidade de meios alternativos e complementares para o controle da infestação por mosquitos.
Deste modo às portas do departamento estão abertas para a população para reclamações e parcerias construtivas. Apelamos para que a população faça sua parte fiscalizando e denunciando a existência de reservatórios de água sem tampa, terrenos baldios com acumulo de lixo, etc.
Através deste informativo  queremos convidar a população em geral e sociedade civil organizada para participar de FORÚM DE DISCUSSÃO no dia 24/09/2015 as 14:30 horas no auditório da Câmara Municipal de Bom Conselho  a fim de expor os trabalhos continuamente executados no município por este departamento no controle das supracitadas pragas, assim bem como, colher ideias e sugestões para o aprimoramento do programa de controle de vetores e pragas urbanas.


Franklin S. Tenório
Diretor de Vigilância em Saúde
Enfermeiro – UNIFAVIP
Pós-Graduando – Saúde Pública – UPE
Pós-Graduando – Enfermagem Obstétrica – CEFAPP
Extensão em Epidemiologia - UCDB

Extensão em Vigilância Sanitária - UCDB

Nenhum comentário:

Postar um comentário