Páginas

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

COLUNA ENSAIO GERAL: FREI DIMAS (FINAL)

Crônicas de Bom Conselho
Por: Alexandre Tenório.

           


             Como vimos anteriormente, Dadinho acordou cedo e foi o primeiro a chegar ao ESTADUAL. Os alunos foram chegando e o tempo foi passando e nada dele ser chamado por Frei Dimas. Na hora da formação para a reza e ser dado os recados, Frei Dimas pediu a ele que no recreio fosse à diretoria que ele queria lhe falar. Pronto estava feito a bagaceira, mil coisas passaram na cabeça dele, e a atenção na aula foi para o brejo, ele estava na sala de aula, porém a cabeça estava na diretoria. O tempo vai passando e nada de chegar a hora do recreio. Quando toca a campainha, ele se dirige imediatamente para a sala da diretoria, ao chegar, não encontra Frei Dimas, que tinha se ausentado. Ficou ali, esperando, com o passar do tempo, vai aumentando a angústia é quando Frei Dimas entra e vai logo dizendo – fiz para você um instrumento único no mundo, você vai ser o primeiro a tocar “A CAMPAINHA ACÚSTICA” Dadinho ficou sem fala, não sabia o que dizer, pois a emoção era muita. Quando Frei Dimas abre o armário e de lá tira uma peça em forma de funil, tendo na cabeça uma campainha de birô, aquelas campainha que os professores usam quando querem que os alunos parem de falar.

       Frei Dimas pegou um canudo de enrolar plástico e cortou no meio, então pegou a campainha da sala do professor Geraldo Guedes e colocou na boca do canudo, com uma fita crepe amarrou a campainha na boca do canudo, estava feito ali a primeira campainha acústica.

       Dadinho pediu explicação sobre o funcionamento do instrumento, Frei Dimas segurou a peça com uma mão e com a outra lascou a mão no pino da campainha, de lá, saiu um som metálico e sonoro igual a um pio de pinto. Frei Dimas disse a Dadinho que este instrumento deveria ser tocado ao mesmo tempo em que os pratos eram tocados, ou seja, por mais força que ele colocasse só se ouvia o som dos pratos, porém o nosso amigo Dadinho estava realizado, pois era um dos componentes da BANDA MIRIM DO COLEGIO ESTADUAL FREI CAETANO DE MESSINA.

             Se você sabe alguma história de Frei Dimas, mande para o meu e-mail (tenoriovieira@uol.com.br) que eu transformarei em artigo.


       Cabe ao poder público municipal um logradouro com o nome de Frei Dimas, de preferência ligado à educação. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário