Páginas

terça-feira, 1 de abril de 2014

Celpe realizará investimento recorde de R$ 469 milhões em 2014

No 1º trimestre do ano foram investidos mais de R$ 85 milhões. Outros R$ 93 milhões serão aplicados em gastos operacionais na ampliação, manutenção e modernização do sistema



A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), empresa do Grupo Neoenergia, investirá um volume recorde de recursos em 2014. A concessionária aplicará R$ 469 milhões no sistema de distribuição de energia elétrica do Estado. O maior valor já aportado pela empresa é 24% superior ao que foi disponibilizado no ano passado. O montante será destinado, principalmente, para obras de ampliação de rede, construção de subestações, manutenção, automação e modernização do parque elétrico. No primeiro trimestre do ano já foram investidos mais de R$ 85 milhões em novas ligaçõesexpansão da rede e melhorias do sistema.
A aplicação dos recursos tem a finalidade de acompanhar a crescente demanda por energia, decorrente do desenvolvimento econômico do Estado, e assegurar a qualidade do fornecimento aos mais de 3,3 milhões de clientes. A expectativa para este ano é que a energia distribuída no mercado pernambucano apresente um crescimento de 5,7% em relação ao ano anterior.
O investimento será distribuído em toda a área de concessão da Celpe. A maior parcela, R$ 193 milhões, será aplicada na região metropolitana. A Regional Cabo, que abrange municípios do litoral e da Zona da Mata Sul, receberá R$ 40,2 milhões. Outros R$ 41,8 foram destinados à Regional Carpina, que incorpora cidades da Mata Norte do Estado. Nas Regionais Caruaru e Garanhuns, ambas no Agreste, serão investidos R$ 37,8 milhões e R$ 51,4 milhões, respectivamente. No Sertão, para a Regional Serra Talhada estão previstos R$ 40,5 milhões e para a Regional Petrolina, R$ 63,8 milhões.
As ações de manutenção, melhoramento e modernização do sistema irão receber um aporte financeiro de R$ 100 milhões. No decorrer do ano, serão substituídos 367 quilômetros de fiação convencional por rede protegida ou isolada, minimizando interrupções no fornecimento por contato da vegetação urbana na fiação.
O plano de investimentos prevê, ainda, a ampliação da automação da rede de distribuição por meio da instalação de 256 chaves automatizadas. Os equipamentos de proteção são controlados remotamente pelo Centro de Operação Integrada da Celpe, o que evita deslocamento de equipes de prontidão e assegura maior agilidade no processo de recomposição do sistema.
Entre as obras de maior porte estão a construção de três novas subestações e a ampliação de outras duas. No Grande Recife será iniciada a construção da Subestação Estância, na Zona Oeste da capital, e duplicada a Subestação de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. Em Caruaru, no Agreste, a Subestação Campus também será duplicada. No Sertão Central e na Região do Araripe, serão iniciadas as obras de construção das Subestações de Serrita e de Santa Cruz respectivamente, cuja conclusão será no primeiro trimestre de 2015.
A expansão do sistema elétrico consumirá recursos superiores a R$ 46 milhões. Além das cinco subestações, o investimento também será destinado à construção e finalização de 11 linhas de transmissão que serão responsáveis pelo aumento da oferta de energia elétrica em todas as regiões do território pernambucano. Destaque para duas linhas em 69 kV: Goianinha/Goiana II, que irá atender a fábrica da Fiat, e Condado/Timbaúba que permitirá aumento na capacidade de transmissão energética para a Zona da Mata Norte do Estado.
As ações projetadas para 2014 incluem, ainda, a ligação de aproximadamente 144 mil novos clientes à rede de distribuição da Celpe no perímetro urbano e na zona rural do Estado. As novas ligações demandarão recursos na ordem de R$ 172,5 milhões. Serão empregados também R$ 31,5 milhões no desenvolvimento e sistemas de informática, em sistemas de telecomunicações, aquisição de veículos e outras ações que dão suporte à distribuição de energia.
OUTROS GASTOS – Além do investimento recorde de R$ 469 milhões, a Celpe irá destinar, em 2014, outros R$ 93 milhões para cumprir despesas operacionais. Preventivamente, serão aplicados R$ 12,5 milhões na realização de podas em 350 mil árvores, em todo o Estado, situadas próximas da rede de distribuição de energia. O plano de inspeções deve consumir R$ 29 milhões destinados para ações de fiscalizações de 130 mil unidades consumidoras com a finalidade de identificar e combater fraudes. Os custos com as ações das equipes de prontidão estão orçados em R$ 39,4 milhões. Outros R$ 12,6 milhões serão destinados ao custeio das turmas especializadas em linha energizada e em manutenção preventiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário