Páginas

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A corrida pelo voto

     “A corrida pelo voto’’
(Pedro Bastos)


- Está próximo, muito próximo
O dia da eleição
Muita gente apreensiva
Pra vê a definição
Quem está lá continua...
Ou, dar vez a oposição?
- Há quem clame; já ganhou!
Outros dizem: já perdeu!
Nesse tal quebra-cabeça
Quem não se mete sou eu
Pois o que eu tenho certeza
Se um ganhar, o outro perdeu.
- No ímpeto numa certeza
Só para impressionar.
Ninguém pode esmorecer,
Nem pode desanimar.
Só sei que pra um perder,
O outro tem que ganhar.
- nessa corrida de doidos,
Só se ver louco a correr;
Gastam rios de dinheiro
Se empenha, fica a dever
É a corrida dos loucos
Pelas rédeas do poder.
 - Casa, birô, gabinete;
Que diabo tem, esta cadeira?
Que todos que nela se senta,
Fica louco, faz besteira.
Até quem de lá saiu
Quando lembra dar coceira.

 - E a casa dantas barreto?
Do poder legislativo.
Quando alguém sai, perde o peito;
Fica triste e pensativo.
Tem uns que querem fazer
O papel do executivo.
- Prometendo fazer obras
Ruas, pavimentação.
Não sabe o que é legislar.
Nem direito, nem razão,
Se ganhar é um lagartixa
Só vai dizer; sim, ou não.


Kkk... Estuda candidato! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário