Páginas

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Crise financeira atinge o IMIPE.



Voltado ao atendimento da população carente de Pernambuco, o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) passa por uma crise financeira. A unidade presta assistência integral à saúde da criança, da mulher e do adulto. Nesta terça-feira (29), a direção do Imip divulgou uma carta aberta à sociedadedo estado onde relata as dificuldades. De acordo com o texto, o instituto tem sido prejudicado pelo atraso nos repasses de recursos.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) se pronunciou sobre o assunto, reconheceu a crise e se comprometeu "a criar saídas e soluções para enfrentar o momento."

Confira abaixo a carta do Imip na íntegra:

"O IMIP vem a público esclarecer que a crise econômica atingiu seriamente a nossa instituição. Já vivenciamos em vários momentos muitas dificuldades financeiras. Mas a que enfrentamos agora não tem precedente na história cinquentenária do IMIP. Continuar prestando uma assistência  de qualidade à saúde da população tem sido um grande esforço alcançado todos os dias pelo sacrifício do conjunto dos nossos funcionários.

É importante ressaltar que o IMIP, por sua história de dedicação exclusiva ao Sistema Único de Saúde e reconhecida eficiência administrativa, foi convidado por vários governos municipais e estaduais a participar como Organização Social (OS) de licitações para assumir a gestão de unidades para prestação de serviços de saúde. Num passado recente, devolvemos ao estado da Bahia a administração de dois hospitais.

Em Pernambuco, administramos 4 hospitais, 8 UPAS e 3 UPAEs. A crise financeira vivida pela Nação e pelo Estado tem penalizado o IMIP como instituição e também como gestor dessas unidades estaduais. Nossa prestação de serviço tem sido prejudicada pelos repasses que recebemos – com atrasos e com defasagem financeira. O que tem causado um déficit financeiro que compromete a sobrevivência econômica do IMIP, acarreta atraso no pagamento de funcionários e fornecedores e força a instituição a limitar a quantidade de alguns tipos de atendimentos à população pobre de Pernambuco.

Temos clareza da gravidade do momento histórico pelo qual passamos, mas não podemos assumir perante nossa sociedade a responsabilidade pelas consequências desta situação. Estamos fazendo todos os esforços possíveis para atravessar esse período. Imbuídos de compreensão, paciência e tolerância,  esperamos que essa situação se normalize no tempo mais curto possível para que uma instituição como o IMIP não interrompa sua trajetória de décadas em servir às famílias pobres da nossa região.

Recife; 29 de setembro de 2015.

A Diretoria"

Confira a íntegra da nota da Secretaria Estadual de Saúde:

"A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informa que reconhece o momento delicado que se encontram todas as instituições parceiras do SUS em Pernambuco, e se compromete com todas em criar saídas e soluções para enfrentar o momento de grandes dificuldades financeiras – uma realidade da saúde em todo o País.

Tanto o Imip, como as outras unidades que prestam assistência à população pernambucana, precisam receber o apoio e garantias para seu pleno funcionamento. E, neste sentido, a SES vem dialogando com todas as instituições parceiras para pactuar um cronograma de regularização dos repasses e encontrar saídas para o reequilíbrio financeiro.

Por fim, a SES entende que, neste momento, rediscutir com o Ministério da Saúde o financiamento do setor e o grave quadro de falta de recursos do Sistema Único de Saúde é fundamental para que se possa garantir a sobrevivência do próprio SUS e a assistência aos pacientes."

Nenhum comentário:

Postar um comentário