Páginas

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

BRF-Perdigão vende fábrica de lácteos de Bom Conselho à empresa francesa Lactalis.



O grupo francês Lactalis, conhecido pela marca President, deverá anunciar, a compra dos ativos de lácteos da BRF, que incluem as marcas Elegê e Batavo.

O negócio envolve a venda de 11 unidades situadas em dez localidades: Bom Conselho (PE), Carambeí (PR), Ravena (MG), Concórdia (SC), Teutônia (RS), Itumbiara (MG), Terenos (MS), Ijuí (RS), Três de Maio I (RS), Três de Maio II (RS) e Santa Rosa (RS).

Segundo informações a unidade de Bom Conselho, deverá continuar funcionando, agora produzindo com nova marca. Caso essa informação seja verídica, praticamente não teremos perda de empregos na unidade.

operação, avaliada pelo mercado em aproximadamente R$ 1,6 a 1,8 bilhão, é considerada uma das maiores transações globais a serem realizadas no setor este ano, segundo fontes ouvidas pelo jornal O Estado de S. Paulo.
Maior companhia de lácteos no mundo desde 2011, após adquirir os ativos da Parmalat SpA, a Lactalis, com faturamento global de 16 bilhões, começou suas atividades no Brasil no ano passado, com a compra da Balkis. Desde então, começou a olhar outros negócios para expandir sua atuação no país.

No fim de agosto, a companhia francesa chegou a um acordo com credores para comprar parte dos ativos da LBR, que entrou com pedido recuperação judicial no ano passado.

A empresa ofereceu, no último dia 21, R$ 250 milhões por seis unidades produtivas da LBR no país, localizadas principalmente em Minas Gerais.

"Com essas operações (BRF e LBR), a Lactalis se torna uma das maiores captadoras de leite do país", disse uma fonte de mercado. Uma pesquisa da revista Supermercado Moderno cita BRF e LBR como as principais referências do varejo em leite de caixinha.

Dados de 2013 mostram que a BRF era a vice-líder em captação de leite, com cerca de 1,4 bilhão de litros/ano no país, atrás da Dairy Partners Americas (DPA), joint venture entre a suíçaNestlé e a neozelandesa Fonterra, com 2,033 bilhões de litros. Em maio, Nestlé e Fonterra anunciaram o fim da parceria na América Latina.
Isso dividirá a captação das duas companhias e poderá colocar a Lactalis na liderança do segmento no Brasil. Até 2012, a LBR era a vice-líder em captação de leite no país, segundo dados da associação Leite Brasil.

Segundo fontes de mercado, o acordo com a BRF não deve impor dificuldades à incorporação de parte da LBR pela Lactalis, uma vez que a oferta já foi aprovada em assembleia de credores e só depende da aprovação do juiz responsável pelo processo de recuperação judicial.
Além disso, o setor de lácteos no país é muito pulverizado, o que reduz a hipótese de o negócio ser barrado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Prioridade
No início deste ano, a BRF decidiu colocar à venda os ativos de lácteos - com as marcas Batavo e Elegê - por não ser o principal negócio da companhia de alimentos, dona das marcas Sadia e Perdigão. Essa divisão de negócios faturou R$ 2,8 bilhões no ano passado.

Depois de receber várias propostas, a BRF selecionou quatro ofertas para os ativos de Lácteos. Estavam no páreo, além da Lactalis, a francesa Danone, a canadense Saputo e a americana General Mills.

Assessorada pelo Itaú BBA, a BRF considerou a proposta da Lactalis, assessorada pelo banco Indusval, a mais adequada. Procurada, a BRF não comenta o assunto. Nenhum porta-voz da Lactalis foi encontrado pela reportagem.


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e do Portal G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário