Páginas

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Um olhar diferente.

Recebemos via e-mail a crônica abaixo de uma leitora do nosso blog.


"Uma olhar diferente"
Por: Deysiany Silva

"Eu olhei da janela do meu quarto, estava chovendo. Quando eu era criança, eu gostava de brincar na chuva, tomar banho de chuva mesmo com a minha mãe gritando: - Sai da chuva menina, você vai ficar resfriada. Hoje, vendo as gotas de água cair no chão, percebo que aquela vontade de se molhar durante a chuva, passou. Engraçado que antes minha mãe brigava comigo e mesmo assim eu não ligava, aquele momento me proporcionava uma felicidade tremenda e hoje que eu cresci, estou livre, digamos assim, eu tenho medo de me molhar, tenho medo de ficar resfriada ou ficar com algo mais grave.

Eu tenho saudade de ser criança, aliás, quem não tem? Quando eu era criança lembro que eu era espontânea, sabia aproveitar o momento sem que o amanhã pudesse me impedir de ser feliz hoje. Olhando para o passado e vendo o quanto tudo mudou, me dá uma aflição e uma vontade de voltar a ser criança.

Na minha juventude eu tinha muitos sonhos, planos. Depois que me tornei adulta tudo ficou tão difícil. Aqueles sonhos da adolescência foram murchando e morreram, eu não tive a capacidade de continuar os cultivando e também não plantei novos sonhos no lugar deles. A vida foi passando e eu me tornei uma pessoa vazia, a vida para mim já não fazia mais sentido. Sabe, podem pensar que eu sou muito egoísta, por dizer que a vida não fazia mais sentido. Muitos vão dizer que ter a oportunidade de viver já é um grande privilégio e blábláblá... Mas para mim, de que vale a vida se não se tem sonhos? De que vale viver se você se acha uma fracassada, uma pessoa que não tem nada a oferecer para si e para os outros?

É eu estava deprimida e precisava de incentivo, motivação. O que me tirou do fundo do poço, o que me impediu de cometer uma atrocidade contra mim mesma foram os livros, é um bom livro pode te salvar de muita coisa. Comecei a ler, depois já estava escrevendo e já estava começando a sonhar a ter planos, minha vida mudou. Hoje, eu penso como muita gente: ter a oportunidade de viver é sim um grande privilégio.

A vida é muito mais do que a gente imagina, ser feliz vai além ser bem sucedido profissionalmente, vai além de ter um bom casamento (é possível ser feliz solteira), vai além de muita coisa.

Eu achava que a minha vida era a pior o mundo, mas eu consegui ter um olhar diferente sobre a vida, o mundo, as pessoas. Muitas vezes eu pensei em suicídio, aliás, quem nunca pensou em ceifar a própria vida que atire a primeira pedra. Depressão é doença e não modinha, depressão leva ao suicídio. Quem pensa em suicídio tem que ser tratado, pois hoje você pensa e amanhã você faz. Não espere que a doença acabe com a sua vida, acabe com ela primeiro. Não tenha medo ou vergonha de procurar ajuda. Ninguém é perfeito, é a sua vida que está em risco, e você é o único que pode salvá-la."


Nenhum comentário:

Postar um comentário